Rússia conclui testes e quer distribuir vacina contra a covid-19 em agosto

A Rússia anunciou hoje (13) que concluiu parte dos testes clínicos necessários para comprovar a eficácia da imunização de uma vacina contra o coronavírus. Mais perto de se tornar o primeiro país a iniciar uma distribuição de vacina em massa, a iniciativa desenvolvida pelo próprio governo russo pode ser liberada a população já em agosto.




"A pesquisa foi concluída e provou que a vacina é segura", disse Yelena Smolyarchuk, chefe do centro de pesquisas clínicas da Universidade Sechenov, à agência de notícias estatal TASS. De acordo com o Centro Nacional de Pesquisa para Epidemiologia e Microbiologia Gamalei, que produziu a imunização, a previsão é que "entre em circulação civil" entre 12 e 24 de agosto.

A vacina russa está perto de ser distribuída porque os testes clínicos começaram em junho. Na época, a Universidade Sechenov reuniu 38 voluntários remunerados para o estudo. Parte deles já receberá alta nesta quarta-feira (15), quando terão completado 28 dias em isolamento para protegê-los de outras possíveis infecções.

Os voluntários têm entre 18 e 65 anos e ainda serão monitorados por mais seis meses.

O Ministério da Saúde russo afirma que ainda realizará testes bioquímicos da vacina, porém espera encerrar o processo até setembro, mesmo mês para o qual está previsto o início da produção em massa por laboratórios privados.

A Rússia é o quarto país do mundo com o maior número de pessoas infectadas pelo coronavírus. Segundo dados da Universidade Johns Hopkins, o país tem mais de 730.000 pessoas infectadas e já passou de 11.000 mortes causadas pela covid-19.