PSDB e PT saem encolhidos das eleições de 2020


Em um ano atípico, marcado pela pandemia do novo coronavírus, o 1º turno das eleições municipais de 2020 começou a desenhar, segundo especialistas consultados pelo Metrópoles, mudanças no cenário político: PSol e PDT ganham força junto à esquerda, com o PT enfraquecido; o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e aliados perdem corpo, com resultados abaixo do esperado e diminuição do apelo da chamada “antipolítica”; e o bloco de partidos de centro surge como uma alternativa à polarização desenfreada de 2018, com destaque para o DEM, que elegeu três prefeitos de capitais em primeiro turno.


Com quase 90% das urnas apuradas das Eleições 2020, apenas três partidos elegeram, em primeiro turno, candidatos nas capitais do Brasil.

Uma das principais siglas de centro-direita do país, o Democratas (DEM) venceu em 3 das 25 capitais em que houve votação neste domingo (15/11). Logo atrás, empataram o PSDB e o PSD, ambos com duas vitórias confirmadas.

Em relação ao segundo turno, o MDB é a sigla que mais vai disputar prefeituras nas 18 capitais com votação a ser definida no próximo dia 29. São 7 cidades em que o partido é uma das duas opções dos eleitores.


O Partido dos Trabalhadores, na contramão, está em apenas duas disputas: em Recife e Vitória. O número é bem distante da realidade de 2016, quando o partido levou 7 candidatos para a definição em segundo turno. Apesar disso, o partido elegeu, em 2016, apenas um prefeito nas 100 cidades mais populosas do país. Agora, o PT está na disputa em 15 desses municípios: além das duas capitais, vai concorrer às prefeituras de Guarulhos (SP) e São Gonçalo (RJ).

Em São Paulo (SP), o candidato Guilherme Boulos (PSol) surgiu como o grande nome da esquerda nestas eleições e vai disputar o segundo turno contra o atual prefeito, Bruno Covas (PSDB). Apoiado por Bolsonaro, o deputado federal Celso Russomanno (Republicanos) despencou nos últimos dias, conforme pesquisas de intenções de votos, e amargou, nesse domingo (15/11), um dolorido quarto lugar, com pouco mais de 10% dos votos válidos.

No Rio de Janeiro (RJ), Eduardo Paes (DEM) vai ao segundo turno contra o atual prefeito da cidade, Marcelo Crivella (Republicanos). Primos, João Campos (PSB) e Marília Arraes (PT) travam a batalha pela prefeitura de Recife (PE), e, em Porto Alegre (RS), Manuela D’Ávila (PCdoB) conquistou 29% dos votos e vai ao segundo turno contra Sebastião Melo (MDB).