Policiamento Comunitário Koban chega a Caruaru


Nesta sexta-feira (13), às 10h, o o secretário de Defesa Social de Pernambuco, Antonio de Pádua, irá inaugurar a terceira base do projeto da Polícia Militar (PMPE) no Estado. Os moradores de Caruaru, no Agreste do Estado, começarão a contar com policiamento comunitário inspirado no modelo japonês Koban. A nova unidade representa o início da expansão para o Interior do Sistema Koban, que começou em agosto de 2018 pelo bairro de Boa Viagem, na Zona Sul do Recife, e foi replicado em Jardim Maranguape e Maranguape I, no município de Paulista, Região Metropolitana. Este projeto visa unir policiais e as comunidades, na intençaão de prevenir e combater a criminalidade a partir da construção de uma rede de segurança local.


O projeto de policiamento comunitário desenvolvido pela PMPE nasceu da cooperação entre a SDS, a Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp) e a Agência Nacional de Polícia do Japão. Representantes da instituição japonesa vieram ao Recife, colaborando com a formação do efetivo em Pernambuco. O intercâmbio levou policiais militares do Estado ao país asiático para conhecer o milenar sistema Koban, que significa "estrita vigilância local, e dá nome à base de apoio instalada na localidade.


O sistema conta com um ponto fixo, em forma de contêiner, instalado próximo no alto do monte, próximo à I Companhia do 4º Batalhão e terá o efetivo de 24 policiais. A unidade de policiamento comunitário no Monte Bom Jesus, Centenário e São Francisco contará com guarnição tática nas ruas da localidade, assim como policiamento com motocicletas. "A área de abrangência do Koban Caruaru é bastante populosa, além de um grande público flutuante ao longo do dia, comércio aquecido e ponto turístico, pela bela vista que oferece. Esses fatores favoreceram nossa escolha de local e temos a certeza de que os moradores, trabalhadores e visitantes sentirão a diferença. Nesse sistema, polícia e comunidade estão sempre em contato para, juntas, identificar, priorizar e resolver questões que envolvem a segurança pública, essencialmente trabalhando na prevenção do crime e da violência. A ideia é que os policiais possam desenvolver laços de proximidade, tornando-se parte daquele território e estabelecendo uma relação de confiança", explica Antonio de Pádua.


O sistema irá expandir. As próximas localidades a receber são os bairros de Marcos Freire, na Região Metropolitana de Recife, e Cajueiro Seco, em Jaboatão dos Guararapes; e o bairro da Charneca, no Cabo de Santo Agostinho. Todos contarão com o posto-base, as guarnições e viaturas. O projeto chegará, ainda, a Ponte dos Carvalhos (Cabo), Prazeres e Jardim Jordão (Jaboatão), com o policiamento motorizado nas ruas.


De acordo com o secretário, a metodologia de estreitar as relações da polícia com a população é fundamental para seguir avançando no combate à violência no Estado. "No ano passado, já conseguimos mensurar os resultados positivos dessa nova postura: redução de 41% nos roubos no quadrante do bairro de Boa Viagem onde começamos com o Sistema Koban", lembrou.

Segundo o coordenador estadual de Polícia Comunitária, Major Oliveira Júnior, o monitoramento das áreas do projeto ocorre por meio de diversas estratégias, como a formação de uma rede de vizinhos, abordagens sistemáticas e o mapeamento do ambiente. "Os policiais conversam para conquistar parceiros, fazendo visitas técnicas preventivas. Além disso, preparam relatórios sobre os resultados, os desafios por enfrentar e as propostas de soluções sociais e urbanísticas possíveis. Quanto mais próximos estamos, mais fidedigna é a nossa leitura da comunidade. Nosso foco maior é sempre buscar a ausência do crime, a prevenção", detalha o coordenador do projeto, que representou o Brasil no Curso de Gestão em Policiamento Comunitário realizado em 2018, no Japão, e faz parte da Diretoria de Articulação Social e Direitos Humanos da PMPE.


Por: Diario de Pernambuco