Políticas culturais de Arcoverde foram debatidas na III Conferência Municipal de Cultura

A Secretaria de Cultura e Comunicação da Prefeitura de Arcoverde realizou, na noite de quarta-feira, 27 de novembro, a III Conferência Municipal de Cultura. A inciativa foi promovida no auditório da Secretaria de Educação e Esportes, contando em sua abertura com performance da Banda de Pífanos Senhores da Terra.

Em seguida, a secretária de Cultura e Comunicação, Teresa Padilha, fez as saudações ao público presente, chamando para compor a mesa a prefeita de Arcoverde, Madalena Britto, a vereadora Cleriane Medeiros e o secretário de Turismo e Eventos, Albérico Pacheco. “Esta III Conferência chega com o objetivo bem específico, que é montar o Plano Municipal de Cultura”, frisou Teresa Padilha em sua fala inicial, fazendo referência ao tema desta edição do evento: ‘O que queremos para as políticas públicas culturais de Arcoverde nos próximos 10 anos’.



O secretário de Turismo e Eventos, Albérico Pacheco, ressaltou a satisfação em estar presente na ocasião. “Turismo caminha ao lado da Cultura. Um funciona com o outro e nos eventos públicos, eles caminham par e passo”, afirmou, elencando posteriormente a importância da criação da Secretaria de Cultura pela atual gestão municipal. “Arcoverde já merecia como uma cidade ícone e que tem um desenvolvimento cultural muito grande no contexto do Estado de Pernambuco, do Nordeste e do Brasil”, destacou Albérico.

A vereadora Cleriane Medeiros também fez uso da palavra, abordando a importância da conferência em relação ao trabalho desenvolvido pelos fazedores locais de cultura. “Vocês representam a sociedade tão bem, sendo premiados em diversos eventos, tanto em Pernambuco como fora, vestindo a nossa camisa”, pontuou a representante do Poder Legislativo



á a prefeita Madalena Britto explanou em seu discurso a luta para que o segmento cultural atingisse mais conquistas nos últimos anos. “Hoje em Arcoverde temos uma secretária que é persistente em trabalhar em busca de melhorias nesta área. A Secretaria de Cultura só existe porque Teresa Padilha ficou insistindo para que nós a criássemos e sabíamos da importância desta pasta. Nós estamos caminhando a passos lentos, mas estamos caminhando e vamos chegar ao momento de uma conquista maior, porque acreditamos em vocês. Arcoverde é um celeiro cultural e Pernambuco sabe disso, que aqui na nossa cidade tem grandes artistas em todas as áreas e pessoas com grande potencial”, afirmou a gestora do município.

“Aqui hoje é a abertura de um dos caminhos e nós sabemos que vai ajudar na construção de uma cultura melhor para a cidade. Estamos na luta pela Fundação de Cultura e queremos sim, antes de terminar a nossa gestão, deixarmos em Arcoverde a Fundação de Cultura instalada em nosso município, porque sabemos do fortalecimento que esta fundação vem contribuir para a cultura local”, enfatizou a prefeita Madalena.

Em seguida, a programação da III Conferência Municipal de Cultura continuou com a leitura do Regulamento Interno pela secretária municipal da pasta, possibilitando o momento de divisão dos participantes, de acordo com as escolhas individuais, nos  eixos temáticos: ‘Princípios’, ‘Fomento e Difusão’, ‘Formação’, ‘Gestão’ e ‘Patrimônio’. Após os debates para reformulações pelos integrantes envolvendo cada eixo proposto, o evento continuou contando com a presença da gerente de planejamento da Secult-PE, Fernanda Laís de Matos, representando o secretário estadual de Cultura, Gilberto Freyre Neto.



Na oportunidade, a servidora pública abordou para os presentes um pouco de suas experiências dentro da gestão cultural conduzida pelo então Ministério da Cultura – MinC (hoje Secretaria Especial no Ministério do Turismo) e pelo Governo de Pernambuco, onde desde 2015 acompanhou todo processo de elaboração do Plano Estadual de Cultura, efetivado pela Secult-PE e Fundarpe.

Ao final, a programação da conferência foi direcionada às reformulações observadas e solicitadas pelos participantes de cada eixo, nos tópicos trabalhados. “Hoje a gente caminha para a concretização do Sistema Municipal de Cultura”, afirmou Teresa Padilha, explicando que o mesmo só vai ser possível com a efetivação do Plano Municipal de Cultura na próxima semana, quando será encaminhado ao Conselho Municipal de Políticas Culturais – CMPC e em seguida, será avaliado pela Câmara de Vereadores de Arcoverde, para que possa então se tornar Lei.