Oi cobra R$ 7 milhões de empresa de Lulinha por empréstimo


A companhia de telefonia Oi cobrou da Gamecorp S.A., que tem Fábio Luís Lula da Silva, filho do ex-presidente Lula, como principal administrador, o pagamento de R$ 6,8 milhões com origem em empréstimos feitos entre 2006 e 2007 e nunca ressarcidos. As informações são do jornal Folha de S.Paulo.

Por meio de notificação extrajudicial, a Oi informou, em duas ocasiões, entre 2018 e 2019, que o pagamento deveria ser feito, sob pena de a empresa “tomar as providências judiciais cabíveis”. A companhia está em recuperação judicial desde 2016. O ofício mais recente é de setembro do ano passado.

De acordo com o jornal, as notificações foram apreendidas pela Polícia Federal durante a fase Mapa da Mina da Lava Jato, deflagrada em dezembro do ano passado e que apura se dinheiro repassado pela tele a sócios do filho de Lula foi usado para comprar o sítio de Atibaia (SP).

Ainda segundo a Folha, os empréstimos que motivaram a cobrança foram feitos por meio de contratos, à época, para “permitir o desenvolvimento de suas operações financeiras”. Inicialmente, os cinco empréstimos para a Gamecorp S.A. somavam R$ 1,65 milhão. No ano passado, a Oi informou que o cálculo atual incluía juros e multa. A iniciativa de pedir o ressarcimento ocorre muitos anos depois do vencimento.


A Oi foi procurada para comentar o assunto, mas a companhia não se manifestou especificamente sobre a questão. A Folha questionou também a defesa de Fábio Luís, que não comentou especificamente a questão dos empréstimos. O advogado do filho de Lula afirmou, por meio de nota, que a vida de seu cliente e atividades de suas empresas foram “devassadas por anos a fio e nenhuma irregularidade foi encontrada”.