O que significa uma pandemia e o que muda com a declaração da OMS sobre coronavírus


Com a declaração de pandemia do novo coronavírus pela Organização Mundial de Saúde (OMS), muitas são as dúvidas sobre o que caracteriza esse status que veio à tona, nesta quarta-feira (11), para a epidemia de Covid-19, que infectou mais de 110 mil pessoas em todo o mundo desde o fim de dezembro.


O termo pandemia é usado para descrever uma situação em que uma doença infecciosa se dissemina de forma muito acelerada, atingindo múltiplas regiões do planeta e de forma simultânea. Quem não lembra a gripe H1N1? Em abril de 2009, a OMS declarava pandemia de gripe H1N1, na época ainda conhecida como gripe suína. O surto global caracterizou-se por uma variante de gripe suína cujos primeiros casos ocorreram no México, em meados do mês de março de 2009. Foi a primeira emergência de saúde pública de importância mundial declarada pela OMS.

Assim como aconteceu com novo coronavírus e o H1N1, as pandemias despontam a partir do momento em que há um novo agente com capacidade de infectar pessoas facilmente de forma acelerada e ser transmitido, entre os seres humanos, de maneira eficiente e com continuidade. Aparecido em dezembro na China, o novo coronavírus afeta todos os continentes, exceto a Antártica, e afeta a economia e diversos setores da sociedade em um número cada vez mais amplo de países.

"Estamos profundamente preocupados com os níveis alarmantes de propagação e de gravidade, bem como com os níveis alarmantes de inação" no mundo, declarou o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, em entrevista coletiva em Genebra nesta quarta-feira (11). O chefe da OMS estimou que, "nos próximos dias e semanas", o número de casos, mortes e países afetados aumentará.

A organização voltou a pedir aos países que atuem para "conter" a epidemia, que já matou mais de 4 mil pessoas ao redor do planeta.