Influencer morta após lipo teve dores ignoradas; Médico é denunciado à polícia

Benjamim Alencar, médico responsável pela cirurgia de lipoaspiração da influenciadora digital Liliane Amorim, de 26 anos, foi denunciado pela família, após morte ocasionada pelo procedimento estético. Segundo a assessoria da Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE), a família abriu um boletim de ocorrência por morte suspeita e suposta negligência no último domingo (24). A assessoria não deu mais detalhes sobre o caso, mas afirmou que a ocorrência, registrada junto à delegacia de Juazeiro do Norte, interior do Ceará, está em andamento.


A influenciadora, que compartilhava conteúdos voltados para moda, viagens e beleza, realizou a cirurgia no dia 9 de janeiro e recebeu alta no dia seguinte, mesmo com dores no abdômen e sentindo mal-estar. No dia 15 de janeiro, após piora das dores, ela foi internada novamente e passou por outra cirurgia. O quadro acabou agravando ainda mais e Liliane veio a óbito no domingo.

A irmã da influenciadora, Fabíola Amorim, afirmou que ela estava se queixando de dor, mas que não recebeu a devida atenção. "Ela falava, mas não foi ouvida", relatou ao jornal cearense Diário do Nordeste. A jovem mencionou ainda que o médico Benjamin Alencar alegou que não seria necessário outra internação de Liliane pois o risco hospitalar diante da pandemia da covid-19 seria maior e que ele viajou após a cirurgia, deixando outra profissional de saúde para acompanhá-la. A substituta teria chegado a dizer que o problema na recuperação seria apenas por Liliane "não estar colaborando", além de compará-la com outros pacientes.

Após morte de Liliane, a influenciadora digital Thaynara OG também relatou complicações em lipoaspiração e contou mais sobre a experiência da cirurgia plástica. O corpo de Liliane está sendo velado em Juazeiro do Norte (CE) e seguirá para ser enterrado Afogados de Ingazeira (PE) ainda nesta segunda-feira (25/1).

O Correio/Diario tentou contato com o médico Benjamim Alencar, responsável pela intervenção cirúrgica, mas não obteve resposta até a publicação desta matéria.