Governador diz que não é hora de retomar aulas presenciais na educação básica

O governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), afirmou, nesta quinta-feira (3) que ainda não é o momento de retomar as aulas presenciais na educação básica. O pronunciamento ocorreu horas depois de um protesto de representantes de escolas particulares que pediram uma data para retomada das atividades presenciais, suspensas desde março devido à pandemia. "As escolas são espaços fundamentais para a sociedade. Garantem conteúdos, socialização, a rotina de trabalho para muitos pais, empregos, até mesmo refeições para milhares de estudantes, no caso das unidades públicas. Mas reabri-las significa colocar de volta em circulação e em convivência direta mais de dois milhões de estudantes no estado, e o impacto dessa medida ainda não tem, no mundo, parâmetros científicos e precisos de controle", afirmou. Nesta quinta, o estado registrou 1.704 novos casos da Covid-19 e 28 mortes, totalizando 130.199 confirmações e 7.619 óbitos. Na segunda-feira (31), o governo anunciou a retomada gradual das aulas presenciais do ensino superior, a partir da terça-feira (8).No entanto, ainda não há previsão para que o ensino básico seja retomado. Também foi prorrogada até 14 de setembro a suspensão das aulas nas escolas do estado. O governador afirmou, ainda, que em diversos países, a volta às aulas tem dividido opiniões de especialistas, já que traz riscos ao controle da circulação do vírus, sobretudo em relação às crianças. "Temos que pensar nas crianças, adolescentes, jovens e em toda a cadeia de profissionais que retornaria às suas atividades presenciais para atender às demandas desse universo. Vamos juntos encontrar caminhos, porque o único enfrentamento que queremos fazer é o do combate à doença e ao vírus", disse Câmara. De acordo com o governador, o Comitê de Acompanhamento da Covid-19 tem avaliado, diariamente, as novas possibilidades de retomada.

PARCEIROS TVLW-2021.gif