Ex-patrão da mãe de Miguel, prefeito de Tamandaré é alvo de operação policial


A Polícia Civil de Pernambuco cumpriu cinco mandados de busca e apreensão em casas no Recife e em Tamandaré, no Litoral Sul do estado, nesta sexta-feira (17). A investigação que deu origem à Operação Espectro começou em junho de 2020 e apura suposta prática de desvio de serviços públicos e associação criminosa. Sérgio Hacker (PSB), prefeito de Tamandaré, é alvo da investigação.


Em nota assinada pelos advogados de defesa (veja íntegra mais abaixo), o gestor municipal manifestou "surpresa e perplexidade" com a operação policial. Esta foi realizada pela Diretoria Integrada Especializada (Diresp), vinculada ao Departamento de Repressão à Corrupção e ao Crime Organizado (Draco) e presidida pelo delegado Rodolfo Bacelar, titular da 3ª Delegacia de Combate à Corrupção.


"No início das diligências, vimos a necessidade de pleitear a expedição de algumas medidas cautelares. Em razão disso, no dia de hoje, demos cumprimentos a cinco mandados de busca e apreensão domiciliares em endereços nas cidades do Recife e Tamandaré, com objetivo de apreensão de documento relacionados à investigação e aparelhos eletrônicos, para, a partir daí, verificar os dados constantes no material apreendido e dar continuidade à investigação", afirmou o delegado.

Ao todo, 43 policiais civis, entre delegados, agentes e escrivães, participam da operação, que é coordenada pela Diretoria Integrada Especializada (Diresp) e supervisionada pela Chefia de Polícia Civil.


O Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE), responsável pela expedição dos mandados de busca e apreensão, disse ao G1 que, por ser uma investigação em curso, não emitiria uma nota se pronunciando sobre o assunto.

Nota de Hacker

O prefeito de Tamandaré, Sérgio Hacker, enviou nota, através do escritório de advocacia que o representa, manifestando "surpresa e perplexidade" com a operação, já que, segundo o texto, sempre colaborou com as investigações.


"[Sérgio Hacker] sempre se colocou à inteira disposição da autoridade policial; peticionou por diversas vezes nos autos do inquérito policial; habilitou advogados em colaboração, à apuração empreendida; requereu o acesso e extração de cópias, o que foi deferido; produziu provas, como também respondeu prontamente, como agente público, a todas as solicitações que lhe foram feitas", disse no texto.