Enfermeiros de Pernambuco aprovam estado de greve alegando falta de material de proteção contra coro


Alegando falta do material de proteção necessário para atendimento aos casos do novo coronavírus (covid-19), enfermeiros de Pernambuco aprovaram estado de greve nesta sexta-feira (20). De acordo com o Sindicato dos Enfermeiros no Estado de Pernambuco (Seepe), se itens como máscaras, aventais e óculos de proteção não chegarem até a segunda-feira (23), a categoria paralisará as atividades.

"Hoje, já temos transmissão comunitária. Como sabemos, muitos pacientes são assintomáticos, porém, transmitem a doença. Por isso, precisamos que o Equipamento de Proteção Individual (EPI) seja garantido para todos os profissionais no atendimento. Não temos como identificar de cara quem tem coronavírus e quem não tem. Se não houver EPI, a gente paralisa as nossas atividades até que o material seja disponibilizado", disse Ludmila Outtes, presidente do Seepe.

Protocolo de tratamento

No protocolo de tratamento do Ministério da Saúde para a covid-19, consta que os profissionais de responsáveis pelo atendimento de casos suspeitos ou confirmados devem fazer a higiene das mãos com preparação alcoólica frequentemente e utilizar gorro, óculos de proteção ou protetor facial, máscara, avental impermeável de mangas longas e luvas de procedimento.


Resposta da Secretaria Estadual de Saúde

Em nota, a  Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE) informou que tem "deflagrado diversas ações para garantir o estoque dos produtos essenciais ao funcionamento dos serviços na área" e garantirá o atendimento à população na rede estadual.

Leia a íntegra da nota da SES-PE

A Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE) lamenta a decisão do Sindicato dos Enfermeiros no Estado de Pernambuco (SEEPE) em decretar estado de greve a partir da próxima segunda-feira (23.03). No momento em que a população mais precisa dos profissionais de saúde que atuam no SUS e reconhecem o seu papel na sociedade, o Sindicato vira as costas para o anseio dos pernambucanos.

O Governo do Estado, por meio do Gabinete de Crise instalado no Palácio do Campo das Princesas e comandado pessoalmente pelo governador Paulo Câmara, tem monitorado permanentemente os serviços de saúde quanto ao abastecimento de equipamentos de proteção individual (EPIs) e realizando um trabalho contínuo de conscientização quanto ao uso correto dos insumos, já que as unidades estaduais constataram um aumento no consumo destes materiais nas últimas semanas.

Importante ressaltar que há uma crise nacional no abastecimento de insumos. No entanto, o Governo do Estado tem deflagrando diversas ações para garantir o estoque dos produtos essenciais ao funcionamento dos serviços na área, em consonância com os decretos anunciados pelo Governador Paulo Câmara. Essas ações, amplamente divulgadas pela imprensa e nas mídias sociais, já garantiram cerca de 800 mil unidades de diversos insumos, como máscaras, luvas e álcool em gel. E o Governo de Pernambuco está em contato com fornecedores para reforçar os estoques e não descarta a realização de novas operações por meio de requisições administrativas - hipótese em que será garantido o pagamento posterior de indenização justa.

A Secretaria Estadual Saúde, por fim, informa que tomará todas as medidas pra garantir o atendimento à população na rede estadual de Saúde. Este é um momento para pensar no bem coletivo a fim de que possamos estabelecer um ambiente de tranquilidade para a população. O Governo do Estado permanece atento para garantir a segurança e a saúde dos profissionais que atuam na rede pública e da população.


Por: JC Online



#convid19 #arcoverde #arcoverdepernambuco #arcoverdepe

#noticias #noticiasbrasil #noticiaspernambuco #sitedenoticias #tvlw #tvlwonline