Em meio a motim, governo federal define hoje prazo para reforço militar no Ceará


Reunião marcada pelo presidente Jair Bolsonaro para o final da manhã desta sexta-feira (28) deve definir a prorrogação no curto prazo do decreto da Garantia da Lei e da Ordem (GLO) que autorizou o envio de tropas das Forças Armadas para reforçar a segurança no Ceará.

O governador Camilo Santana (PT-CE) pediu a renovação por 30 dias. Mas, segundo auxiliares do presidente, a prorrogação será por um tempo muito menor. O presidente Bolsonaro não quer abrir margem para um prolongamento nas negociações para terminar o motim de policiais militares no Ceará. O prazo estabelecido pelo decreto para a permanência dos militares no estado termina nesta sexta. Não houve anúncio nesta quinta-feira (27) da prorrogação da GLO para evitar a desmobilização da negociação em curso entre representantes dos policiais e dos três poderes no Ceará. “Mas a prorrogação é o cenário provável”, disse ao blog um integrante do governo. A reunião da manhã desta sexta deve definir o futuro da GLO e terá a participação dos ministros Fernando Azevedo e Silva (Defesa), Sergio Moro (Justiça e Segurança Pública), André Mendonça (AGU) e Augusto Heleno (GSI). Há forte incômodo no governo federal com o envio de tropas federais para o Ceará. Em uma transmissão ao vivo em uma rede social, na noite desta quinta, o próprio Bolsonaro externou esse desconforto com a GLO no estado.

Mas, ao mesmo tempo, existe o reconhecimento da gravidade da situação. Segundo um ministro ouvido pelo blog, é fundamental uma solução rápida sobre esse impasse para evitar a contaminação desse movimento em outros estados.