Em carta a Gusttavo Lima e artistas, Sociedade de Pediatria recrimina consumo de bebida alcoólica em


Depois de uma semana complicada por causa da polêmica live do cantor Gusttavo Lima, realizada no dia 11 de abril, a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) se pronunciou, por meio de carta aberta ao artista. No texto, o órgão representativo pede que o conteúdo das lives seja adequado ao público infantojuvenil, alegando que "as ações praticadas pelas pessoas que admiramos são idealizadas e entendidas como parâmetro a ser seguido", já que o cantor consumiu bebidas alcoólicas em seu show virtual.

No texto, a SBP diz ainda que o artista é amado pelo seu público e que "o talento não precisa nem de um gole". Em forma de apelo, os pediatras pedem ao cantor que reveja a sua decisão de não fazer mais lives.

O cantor começou a fazer lives pelo YouTube para manter ajudar o público a ficar em casa, na quarentena em combate à proliferação do novo coronavírus, que já fez milhares de vítimas ao redor do mundo.


A Sociedade ressalta na carta que os pediatras trabalham para que as crianças e adolescentes, que conhecem as canções de Gusttavo de cor e salteado, levem vidas saudáveis, mas com atitudes positivas e asseverou a importância e o "peso" que a conduta de um ídolo tem no comportamento dos infantojuvenis. "A tendência é reproduzirem o que veem".

Ainda no texto, a SBP manda um recado para outros artistas brasileiros: "mostrem em suas lives os sorrisos, o talento e carisma, mas estejam atentos à reprodução de comportamentos prejudiciais à saúde, sobretudo o consumo de álcool e tabaco durante as apresentações. Não é razoável banalizar uma conduta que está diretamente associada a repercussões graves, como o alcoolismo e a dependência. Beber não é a chave para deixar as pessoas mais felizes ou agradáveis".

Efeitos do alcoolismo

Na redação, os pediatras se mostram preocupados com o aumento do interesse dos jovens pelo álcool. De acordo com os profissionais, quando o hábito começa cedo, os efeitos podem ser considerados devastadores. "Doenças surgem, problemas emocionais se acentuam e o futuro se torna uma 'zona cinzenta', com repercussões na relação de cada um deles com a família, a escola e o trabalho", diz o texto encaminhado ao cantor.

As plataformas também foram citadas na carta aberta. De acordo com a alegação da SBP, o YouTube, Instagram, Facebook e outros, que veiculam conteúdos ao vivo diariamente, devem zelar pela saúde e bem-estar não só das crianças e adolescentes, mas de toda a sociedade. "Essas empresas devem assumir a sua inerente responsabilidade social de indicar ao público em geral para qual faixa etária as apresentações são destinadas, sejam elas ao vivo ou não".

Os pais devem cumprir seus deveres

A carta da SBP não foi direcionada somente ao cantor Gusttavo Lima. A Sociedade Brasileira dos Pediatras escreveu que os pais têm um papel fundamental no que diz respeito à vigilância naquilo que os filhos assistem ou não e que o acesso deles à internet deve ser monitorado para que não haja complicação na conduta dos pequenos. "Cabe aos pais permitirem o acesso das crianças àquilo que julgam pertinente ou não e orientar sobre os efeitos de condutas inadequadas", declarou.

Por fim, a SBP pediu ajuda a todos os artistas para que possa ser construída uma "adolescência mais saudável". "Com isso, ajudaremos a construir um Brasil melhor no futuro", finalizou.




Conar entra com representação contra lives de Gusttavo Lima

O Conselho Nacional de Autorregulação Publicitária (Conar) abriu uma representação contra o cantor Gusttavo Lima, na última terça-feira (14), por causa do consumo e propaganda de bebidas alcoólicas feitas em suas lives, que aconteceram no dia 28 de março e no último sábado (11). Segundo o órgão regulador, o processo partiu de uma série de denúncias recebidas, que apontavam que as ações publicitárias da Ambev "carecem de cuidados recomendados pelo Código Brasileiro de Autorregulamentação Publicitária para a publicidade de bebidas alcoólicas.

"Não farei live para ser censurado"

Devido à representação do Conar, Gusttavo Lima foi ao Twitter para dizer que não iria mais fazer seus shows virtuais e que estava sendo "censurado". "Acho que o grande segredo da live é tirar o lençol do fantasma. Acho que uma Live engessada e politicamente correta não tem graça. o bom são as brincadeiras, a vontade, levar alegria alto astral para as pessoas que estão agoniadas nesse momento. Não farei Live pra ser censurado", disse o cantor.

Bolsonaro defende Gusttavo Lima nas redes sociais

O presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), foi ao Twitter para se "solidarizar" com o cantor Gusttavo Lima. Segundo Bolsonaro, o artista vem sendo "injusta e covardemente atacado". O presidente ainda chamou Gusttavo Lima de "herói" pelos 'shows' na internet para ajudar o público a enfrentar a quarentena para prevenção do novo coronavírus. O post de Bolsonaro foi retuitado pelo cantor.

"Minha solidariedade ao cantor Gusttavo Lima, que vem sendo injusta e covardemente atacado após grande live que fez dentro de sua própria casa. Ele e outros artistas sertanejos e de demais gêneros, têm sido grandes heróis nessa luta contra a covid-19 e merecem aplausos!", tuitou o presidente.

"Tomaram uma iniciativa espontânea louvável, demonstrando amor pelo seu povo e país, levando entretenimento e conforto para a casa de milhões de famílias neste momento de estresse, além de arrecadarem toneladas de alimentos e promoverem grandes doações. O Brasil agradece!", acrescentou.