Duas jovens de 14 e 21 anos são executadas e os corpos encontrados em estado de decomposição


Através de uma denúncia anônima, Policiais Civis da Delegacia de Bom Conselho, sob coordenação do Delegado Alysson Câmara, deflagraram diligências na tarde desta segunda-feira (22) em busca do paradeiro das jovens Gislane Silva Mendes, de 21 anos, conhecida por “Baiana” e Juliana Marques Bezerra, de 14 anos, conhecida por “Galega”, que estavam desaparecidas desde o último dia 10 de março.

Os policiais encontraram os corpos das duas jovens enterrados em uma cova rasa em uma pequena restinga de mata atlântica, região conhecida por “Minação”, próximo a localidade chamada “Cidade de Deus” em Bom Conselho, já em estado avançado de decomposição. As vítimas tinham marcas de lesões no pescoço, indicando tentativa de decapitação.

O Delegado Alysson Câmara, informou que uma equipe do Instituto de Criminalística (IC) de Garanhuns foi acionada a comparecer ao local e com ajuda do Corpo de Bombeiros Militar de Bom Conselho, promoveram escavações para retirada dos corpos.

"Havia dois corpos enterrados nesse local da denúncia. Imediatamente, acionamos o Corpo de Bombeiros e o Instituto de Criminalística de Garanhuns, que compareceram ao local. As vítimas estavam enterradas em uma cova rasa. Os marginais tiveram o cuidado de tentar ocultar o crime colocando madeira, galhos e folhas secas em cima da cova", explicou o delegado Alison Câmara.



INVESTIGAÇÃO

A polícia acredita que três homens são suspeitos de praticar o crime. Um deles, um adolescente de 17 anos, é ex-namorado de uma das vítimas. Os outros dois tem 20 e 27 anos de idade.

De acordo com as informações da polícia, os suspeitos haviam matado as jovens para "queima de arquivo" com o objetivo de esconder outros crimes de latrocínio cometidos por eles na região.

Ainda segundo o delegado, a jovem Gislane Silva Mendes “Baiana” foi morta porque sabia do envolvimento dos autores num latrocínio ocorrido no dia 18 de fevereiro desde ano, onde um jovem foi assassinado e teve sua motocicleta roubada por dois dos principais suspeitos de envolvimento no duplo feminicídio.

A adolescente Juliana Marques “Galega” de 14 anos teria sido morta por estar acompanhando Gislane Silva Mendes “Baiana”, principal alvo. Ambas foram realmente mortas como “queima-de-arquivo” pelos criminosos.

Após os procedimentos no local, os corpos foram encaminhados ao IML para realização dos exames cadavéricos.

A Polícia Civil prossegue investigando o caso e pede que qualquer informação sobre o paradeiro dos suspeitos, seja informado a Polícia Civil ou PM, sob o mais absoluto sigilo, através dos números (87) 3771-3915 / (87) 99966-0707 / 190.



Com informações: Agreste Violento

PARCEIROS TVLW-2021-4.gif