Desemprego cai a 11,2% em janeiro, mas quase 12 milhões de brasileiros ainda estão sem trabalho


A taxa de desemprego no Brasil caiu no primeiro mês do ano, segundo dados da Pnad Contínua, divulgada nesta sexta-feira pelo IBGE. O resultado do trimestre encerrado em janeiro foi de 11,2%, atingindo 11,9 milhões de pessoas. Houve queda de 0,4 ponto percentual em relação ao trimestre encerrado em outubro, que serve como base de comparação para o dado atual. Instituições financeiras ouvidas pela Bloomberg projetavam uma taxa de 11,3% para o trimestre encerrado em janeiro. Um ano antes, no trimestre encerrado no mesmo mês de 2019, a taxa havia ficado em 12%.


Segundo Adriana Beringuy, analista do IBGE,  a melhora no mercado de trabalho brasileiro nesse início do ano se deu por conta do aumento da inatividade, ou seja, pessoas que estão fora da força de trabalho.

São pessoas que não estão trabalhando, não estão tomando providências para conseguir uma ocupação e não querem assumir uma profissão caso surja.


Trata-se de um movimento sazonal em janeiro, quando há um recuo na procura por trabalho por conta de férias coletivas e escolares.

Nos últimos três meses, 873 mil pessoas entraram nesse grupo que não procura emprego. Como essas pessoas não estão dentro da população que está em busca de uma oportunidade, ela diminuiu o peso na composição da taxa de desocupação, favorecendo a queda da taxa atual de 11,2%.


- Essa interrupção na procura de trabalho foi decisiva. A inatividade cresceu mais que a própria força de trabalho e ocupação. Isso explica o movimento da taxa. É um movimento típico em janeiro, mas foi mais intenso agora - explica Adriana.