Covid-19: soro antiviral do Butantan será testado em humanos

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou, ontem, o início dos testes do soro Covid-19 quer vem sendo desenvolvido pelo Instituto Butantan. Dessa forma, a instituição de pesquisa poderá começar a aplicação do fármaco em pessoas que se voluntariem. Em 24 de março, o órgão regulador aprovou a realização do estudo, mas condicionado à assinatura de um termo de compromisso que previa a entrega de informações complementares, que ainda não estavam disponíveis naquele momento.


O soro é um concentrado de anticorpos contra o novo coronavírus e pode ser aplicado assim que o paciente apresentar manifestações clínicas da doença. Segundo o Butantan, três mil frascos estão prontos para serem testados em humanos e a previsão é de que comecem a ser aplicados nas próximas semanas.


Entretanto, o fármaco não serve para a prevenção da Covid-19. Segundo o Butantan, o objetivo do soro é, sobretudo, para evitar que o infectado desenvolva um quadro grave da doença. Em março, o Butantan tinha informado que o estudo clínico incluiria pacientes transplantados do Hospital do Rim e Hipertensão e pessoas com comorbidades do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP, ambos em São Paulo.

O extrato foi obtido depois de feito o isolamento do novo coronavírus em materiais coletados de um paciente brasileiro. O micro-organismo foi cultivado em laboratório e submetido a um bombardeio de substâncias radiativas para ser inativado. Foi injetado em camundongos, para assegurar que não traria riscos, e depois aplicado em cavalos para a produção de anticorpos. O plasma (parte do sangue que contém fatores de coagulação, anticorpos e proteínas) foi coletado e processado pelo Butantan, dando origem ao soro.

PARCEIROS TVLW-2021.gif