Coronavírus: veja lista de hospitais que serão referência em Pernambuco


O Brasil, segundo o Ministério da Saúde, está preparado para prestar a assistência necessária à população, em eventual necessidade de um caso do novo coronavírus no País. As Secretarias Estaduais de Saúde já informaram os hospitais de referência para atendimento dos casos graves do novo vírus. Esses locais foram escolhidos como medida preventiva pelos gestores locais por terem ampla capacidade de atendimento com profissionais especializados para situações de risco à saúde pública. Em Pernambuco, fazem parte dessa lista o Hospital Correia Picanço, na Tamarineira, bairro da Zona Norte do Recife, e o Hospital Universitário Oswaldo Cruz (Huoc), em Santo Amaro, área central da cidade.


A medida faz parte da rotina de atualização dos protocolos e medidas de prevenção previstos no Plano de Contingência Nacional do Ministério da Saúde. Na última terça-feira (28), o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, solicitou a todos os Estados do país que atualizassem os planos de contingência de acordo com a realidade local. Os Estados e capitais do País têm até a próxima quinta-feira (6) para apresentarem os planos atualizados em reunião convocada pelo ministro da Saúde, em Brasília (DF).


A Secretaria Estadual de Saúde de Pernambuco (SES) já deflagrou as ações de vigilância epidemiológica da doença, seguindo as orientações do Ministério da Saúde. Além disso, na manhã desta quinta-feira (30), na sede do órgão, no Bongi, Zona Oeste do Recife, o secretário Estadual de Saúde, André Longo, e técnicos da pasta se reuniram com a rede de saúde especializada, profissionais da área de infectologia e representantes de outras entidades para discutir as estratégias e se antecipar à ocorrência de possíveis casos suspeitos da doença no Estado, além de traçar o protocolo e fluxo de atendimentos nas unidades de referência.


“Não há, até o momento, nenhuma notificação de caso suspeito do coronavírus em Pernambuco. Além disso, esperamos que as ações desencadeadas pelo Ministério da Saúde possam barrar a entrada da doença no território brasileiro. Mesmo assim, estamos nos antecipando para manter a rede de saúde em alerta para, no caso de termos um caso suspeito, as ações de vigilância epidemiológica e de assistência possam ser tomadas de imediato. Pernambuco já tem uma larga experiência na vigilância em casos de emergência em saúde e uma rede pública com excelência na área de infectologia já treinada e com expertise no atendimento à população com doenças infectocontagiosas”, ressaltou André Longo. O gestor reforçou para a importância da população se manter informada por meio de órgãos oficiais, como a SES-PE e o Ministério da Saúde, e evitar propagar rumores e fake news sobre o assunto.


Unidades de saúde

Durante a coletiva de imprensa desta quarta-feira (29), o secretário-executivo do Ministério da Saúde, João Gabbardo, destacou que essas unidades são definidas com base nos protocolos que devem ser seguidos pelos Estados e municípios. “Nosso sistema de vigilância está em construção para identificar com precisão o novo coronavírus. Além disso, temos hospitais de referência, com ampla capacidade de atendimento, que seguem protocolos do plano de contingência alinhado às realidades de cada estado do país”, disse.

A implementação de plano de contingência permite a atuação conjunta do Ministério da Saúde, Estados e Municípios, em situações de epidemias e desastres que demandem a ação urgente de medidas de prevenção, com protocolos e procedimentos específicos. Trata-se de uma medida preventiva com o objetivo de conter situações de risco à saúde pública.