Comandante da Polícia Militar de Pernambuco é exonerado, três dias após ação policial violenta

O comandante da Polícia Militar de Pernambuco, Vanildo Maranhão, pediu exoneração do cargo na noite desta terça-feira, três dias após a atuação violenta da PM para dispersar as manifestações contra o presidente Jair Bolsonaro no último sábado, no Centro do Recife. Ele será substituído pelo coronel José Roberto Santana, que ocupava o cargo de diretor de Planejamento Operacional da PM, e será nomeado nesta quarta.



Apesar da exoneração, o governo estadual informou em nota que as investigações instauradas pela Corregedoria-Geral da Secretaria de Defesa Social e pela Polícia Civil continuarão para apurar as responsabilidades pelas agressões praticadas por policiais militares nas manifestações.

"Quero dizer aqui que após analisar incessantemente imagens, relatos e vídeos de todo o ocorrido na manifestação do último sábado, conversei com o secretário de Defesa Social e o comandante da PM sobre minha posição de que aquela ação não condiz com as tradições e valores da Polícia Militar de Pernambuco, uma instituição quase bicentenária e de tantos serviços prestados à nossa população. O coronel Vanildo colocou seu cargo à disposição e aceitei", afirma o governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB) em nota.

PARCEIROS TVLW-2021-4.gif