Com cerca de 20 milhões vacinados por mês, estados aceleram imunização

O Brasil tem mostrado tendência de aceleração nos números de aplicação das vacinas contra a Covid-19. De acordo com dados do Ministério da Saúde, de sábado (10) até ontem foram aplicadas 917.932 doses dos imunizantes.


Desde janeiro, 83.740.913 pessoas já receberam a primeira dose de uma das vacinas disponíveis no país, cerca de 39,55% da população. Outros 30.511.963 brasileiros já estão com a imunização completa, com a aplicação da D2 ou da dose única. O número equivale a 14,41% da população. Até o último boletim, divulgado às 18h27 de ontem, 114.552.876 pessoas foram vacinadas.


A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou a utilização de quatro imunizantes no país: CononaVac, AstraZeneca, Pfizer/BioNTech e Janssen, único disponível em dose única.

De acordo com o governo, todos os 28 grupos prioritários, definidos pelo Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19 (PNO), foram atendidos com, ao menos, uma dose do imunizante. Ainda segundo a pasta, o marco foi atingido com o início da distribuição de mais 3,3 milhões de doses de vacinas da Covid-19, que foram repassadas para os estados na última quinta-feira (8).

Ainda segundo a pasta, um lote de 2,4 milhões de doses da vacina da Pfizer/BioNTech foi destinado para a primeira dose de trabalhadores industriais e para pessoas de 55 a 59 anos, fora dos grupos prioritários. Outras 937 mil doses da CoronaVac/Butantan também foram encaminhadas para a primeira e segunda dose da população em geral de 55 a 59 anos e para a vacinação de 100% dos trabalhadores da limpeza urbana e manejo de resíduos. Com isso, todos os grupos prioritários definidos inicialmente no PNO foram contemplados.


Alguns estados têm ampliado a faixa etária de vacinação, como é o caso de São Paulo, que ontem anunciou a antecipação da vacinação dos adultos com 18 anos ou mais. De acordo com o novo calendário, o grupo receberá, pelo menos, a primeira dose do imunizante até 20 de agosto. Além do adiantamento, o governo paulista anunciou que a partir desta data (20 de agosto) começará a vacinar também jovens de 12 a 17 anos, dando prioridade aos que apresentam alguma comorbidade.

Até agora, São Paulo imunizou 46% da população do estado com a primeira dose e 16,64% com a segunda ou com dose única, totalizando mais de 28.655 milhões de vacinas aplicadas.


Imunização completa

Para a médica infectologista e virologista Nancy Bellei, além de adiantar o calendário, é preciso assegurar que os grupos prioritários foram contemplados. Segundo ela, para que a população acima de 50 anos seja protegida, é necessária a correta aplicação das doses recomendadas para cada vacina.

"Nessa faixa etária, a incidência de comorbidades é maior. Para cada 10 anos a mais (de idade), aumentam as chances de se ter alguma comorbidade, assim como as chances de internação médica" alerta. "Não há estudos que comprovem a eficiência das vacinas quando aplicadas apenas uma dose. Até então, a única aparentemente segura, de única aplicação, é a da Janssen".

De acordo com a infectologista, estudos mostram que no decorrer do tempo os anticorpos gerados por vacinas caem, o que pode permitir que o vírus ganhe resistência, caso a aplicação da segunda dose não seja feita no período correto."Com o passar do tempo os anticorpos vão caindo podendo atingir um nível de subproduto. Quanto menos anticorpos são colocados, maiores são as chances de o vírus criar resistência. O coronavírus pode achar brechas para desenvolver novas cepas", conclui.

A vacinação contra Covid-19 teve início em janeiro. Em fevereiro, foram imunizadas 6.791.169 pessoas. Em junho, foram mais de 21 milhões de doses aplicadas, e até a tarde de ontem, os dados do governo totalizaram mais 8.355.142 de vacinas aplicadas apenas no mês de julho.

PARCEIROS TVLW-2021-4.gif