Centro universitário de Caruaru analisa situação de barragens no Agreste de Pernambuco


Um grupo de estudantes do curso de engenharia ambiental do Centro Universitário Tabosa de Almeida (Asces-Unita), em Caruaru, realizou estudos e visitas técnicas em algumas barragens do Agreste de Pernambuco. Durante as visitas eles constataram que muitas delas precisam de manutenção, especialmente neste período de chuvas mais intensas e constantes, com maior acúmulo de água.

Barragens como de São Sebastião, em Panelas, Poço Fundo, em Santa Cruz do Capibaribe, e Tabocas, em Belo Jardim, chegaram em 100% da capacidade. Em Jucazinho a água está se acumulando muito rápido, chegando a 30% da capacidade.


O professor do curso, Luiz Santos, apontou a infraestrutura e limpeza dos reservatórios como fundamentais. “É necessário ter atenção para a estrutura física das barragens, por conta de fatores como a dilatação térmica que causa fissuras no concreto. Além disso, a limpeza dos leitos do reservatório faz toda a diferença, porque o assoreamento que se acumula diminui a capacidade de acúmulo da água e interfere no funcionamento”, explicou.