Caso Alph: 'namorada' e amigo são acusados por morte de estudante da UFPB

A Justiça da Paraíba determinou a prisão preventiva de duas pessoas pelo assassinato do estudante de filosofia Clayton Tomaz de Souza, mais conhecido como Alph. Os acusados são Selena Samara Gomes da Silva, que teria um relacionamento amoroso com Alph, e Abraão Avelino da Fonseca, que seria amigo da vítima. O g1 teve acesso à decisão da juíza Andréa Carla Mendes Galdino nesta quarta-feira (13). Os dois acusados estão foragidos.

O corpo de Alph foi encontrado no dia 8 de fevereiro de 2020, em estado de decomposição, com marcas de tiros, em uma mata às margens de uma estrada em Gramame. De acordo com o IPC, a vítima sofreu disparos na cabeça.



A defesa de Selena disse ao g1 que a cliente é inocente e que "no momento oportuno, durante a instrução processual, os fatos serão esclarecidos". Já a defesa de Abraão informou que "no momento não tem nada a declarar sobre o caso", e que só vai fazer isso no fim da instrução processual.

De acordo com a decisão, que saiu em junho, o pedido de prisão veio após análise de provas periciais e depoimentos coletados. A motivação do crime, segundo os autos, tem relação com o relacionamento amoroso, pois Selena Samara também se relacionava com Abraão Avelino. O segundo acusado é suspeito de ter relação com o tráfico de drogas.

PARCEIROS TVLW-2021-4.gif