Bolsonaro diz que compra de vacina da Índia vai atrasar 'dois ou três dias'

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta sexta-feira que o avião que irá à Índia buscar 2 milhões de doses de vacina contra a Covid-19 vai demorar "dois ou três dias" para sair do Brasil. De acordo com Bolsonaro, pressões políticas na Índia fizeram com o que o laboratório Serum adiasse a entrega das doses, compradas pelo Fiocruz, até que a vacinação comece no país asiático, o que está previsto para ocorrer no sábado.


A vacina que será comprada foi desenvolvida pela Universidade de Oxford e pela farmacêutica AstraZeneca, que também será produzida no Brasil pela Fiocruz. O governo conta com as doses para iniciar a vacinação na próxima semana, junto com a CoronaVac, criado pela farmacêutica chinesa Sinovac e produzida no Brasil pelo Instituto Butantan.


— Foi tudo acertado para disponibilizar dois milhões de doses. Só que hoje, nesse exato momento, está começando a vacinação na Índia. É um país com 1 bilhão e 300 milhões de habitantes. Então resolveu-se, não foi decisão nossa, atrasar um ou dois dias até que o povo comece a ser vacinado lá. Porque lá também tem as pressões políticas de um lado e de outro. Isso daí, no meu entender, daqui a dois, três dias no máximo nosso avião vai partir e vai trazer esses dois milhões de vacinas para cá — disse Bolsonaro, em entrevista para a Band.

A previsão inicial do governo era que o avião partisse do Brasil na quinta-feira e retornasse no sábado. Depois, a decolagem foi adiada para sexta-feira e não foi informada nova previsão de retorno.


Por: O GLOBO


PARCEIROS TVLW-2021.gif