Beneficiários poderão ter parcela do auxílio emergencial cortada; entenda


O Ministério da Cidadania anunciou que os beneficiários doauxílio emergencialterão que passar por umanova análisea cada novo pagamento. Serão consideradas as novas informações sobre o beneficiário inseridas na base de dados. Portanto, receber a primeira parcela do auxílio não será garantia de receber as próximas parcelas.


Por exemplo, quem estava desempregado e conseguiu um trabalho poderá deixar de receber o auxílio. Também podem ser classificados como motivos para não receber mais o benefício: estar trabalhando com carteira assinada; ser aposentado ou pensionista do INSS; estar recebendo seguro-desemprego; receber outros benefícios (com exceção do Bolsa Família); ter CPF irregular; ter renda familiar mensal total maior do que três salários mínimos; ser de uma família com renda mensal por pessoa acima de meio salário mínimo; ter mais de duas pessoas na mesma família que recebem o Bolsa Família na mesma família.

Se o auxílio for cortado, a pessoa receberá um alerta no aplicativo: "Seu cadastro foi identificado com indícios de desconformidades com a Lei 13.982/2020 e está sendo reavaliado. Motivo: Requerente com indício de inconformidade com a legislação do Auxílio Emergencial".

O objetivo do Ministério é evitar o pagamento indevido do benefício. Saiba como devolver o auxílio emergencial recebido indevidamente.


Terceira parcela do auxílio emergencial

calendário da terceira parcela do auxílio emergencial ainda será divulgado. De acordo com o Ministério da Cidadania, a nova parcela deve ser divulgada nesta semana. O pagamento deve ser pelo mês de aniversário do beneficiário.

A Caixa Econômica Federal está liberando nesta terça-feira (23) o pagamento da terceira parcela para beneficiários do programa Bolsa Família cujo NIS é finalizado em 5. Beneficiários com NIS terminados em 1, 2, 3 e 4 já tiveram o auxílio liberado. Veja calendário de pagamento dos beneficiários do Bolsa Família:

NIS finalizado em 1: 17 de junho NIS finalizado em 2: 18 de junho NIS finalizado em 3: 19 de junho NIS finalizado em 4: 22 de junho NIS finalizado em 5: 23 de junho NIS finalizado em 6: 24 de junho NIS finalizado em 7: 25 de junho NIS finalizado em 8: 26 de junho NIS finalizado em 9: 29 de junho NIS finalizado em 0: 30 de junho

Bolsonaro diz que governo não aguenta mais duas parcelas de R$ 600 do auxílio

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nessa segunda-feira (22) que o Governo Federal não aguenta pagar duas parcelas extras do auxílio emergencial de R$ 600. Em entrevista ao canal Agro+, da Band TV, Bolsonaro disse que o ministro da Economia, Paulo Guedes, decidiu pagar a quarta e a quinta parcelas, mas que falta acertar o valor: "A União não aguenta outro com esse mesmo montante".


Por: NE10/Interior