Barragem entra em colapso, e 63 mil moradores de três cidades do Agreste ficarão até 22 dias seguido


A crise da água aumenta a cada dia em Pernambuco. Ou racionamentos longos, para quem ter “sorte”, ou sem água. Mas a presidente da Compesa, Manuela Marinho, segue inabalável no cargo.


Veja que situação. Por causa da falta de chuva no Agreste de Pernambuco, a Barragem de Pedra Fina, em Bom Jardim, entrou em colapso. Segundo a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa), 63 mil moradores da cidade e de João Alfredo e Orobó vão ficar mais tempo sem água nas torneiras.


Por meio de nota, a Compesa informou, nesta quinta (18), que os moradores dessas três cidades, incluindo as áreas urbanas e zonas rurais, já estão com novo calendário de abastecimento. Agora, são três dias com água e 22 sem o serviço.


Antes do colapso da barragem, disse a companhia, as áreas centrais de Bom Jardim, Orobó e João Alfredo recebiam água todos os dias. Não havia o rodízio.


Nas demais regiões dessas cidades, o calendário de distribuição era de quatro dias com água e seis dias sem, conforme a empresa.


Para manter o abastecimento na região, a Compesa informou que está realizando a integração das bacias Siriji, em Vicência, na Zona da Mata Norte, e Buraco do Tatu, em Bom Jardim.


Ainda de acordo com a empresa, essa ação será feita por meio da transposição de água da Barragem de Murupé.