Atende em Casa começa a oferecer suporte emocional para os usuários


Começou a funcionar na última segunda-feira (29) o serviço de teleacolhimento, através do Atende em Casa, para a população com suspeita de Covid-19 que apresenta sofrimento psíquico pelo isolamento domiciliar ou pela própria doença. Com cerca de 3 meses de funcionamento, a ferramenta que repassa orientações para os usuários que estão apresentando sintomas de síndrome gripal. O serviço de suporte emocional funciona de segunda a sexta, das 7h às 12h e das 13h às 18h. Agora, os usuários de todas as localidades atendidas pelo aplicativo que acessam a ferramenta, resultado de parceria entre o Governo de Pernambuco e a Prefeitura do Recife, podem solicitar apoio emocional para equipe de psicólogos capacitada para atender a demanda. Até esta quarta-feira (1º), o aplicativo registrou 25 teleacolhimentos. Ao acessar a plataforma, o usuário é questionado se está precisando de apoio emocional. Se optar pelo suporte, a ferramenta conduz o internauta para atendimento virtual com psicólogo da equipe da SES-PE, que faz uma primeira escuta qualificada para identificar se o paciente precisa apenas daquele teleacolhimento pontual ou se será necessário encaminhá-lo para outros tipos de atendimento ou serviços de referência de acordo com a necessidade. Durante o teleacolhimento, os profissionais buscam identificar as principais situações enfrentadas pela sociedade durante a pandemia da Covid-19: angústia, medo, ansiedade, violência, problemas financeiros, luto e automedicação. Os profissionais podem encaminhar o usuário para a Rede de Atenção Psicossocial (Raps) do Estado; para a rede de proteção a pessoas vítima de violência; ou para equipe de referência diária - para aqueles usuários que necessitem de continuidade do atendimento por psicólogo ou psiquiatra da rede de retaguarda. A equipe treinada para fazer o teleacolhimento faz parte do time de profissionais que trabalha no Acolhe SES, programa criado pela Secretaria Estadual de Saúde que busca acolher os profissionais da pasta e familiares dos servidores vítimas da Covid-19 em momentos de sofrimento, conflito emocional e familiar, ansiedade, pânico, entre outros, durante o enfrentamento ao novo coronavírus. "Os nossos teleorientadores perceberam, nos atendimentos, que existia sofrimento psíquico reprimido pelos pacientes que buscavam o serviço. Por isso, decidimos articular a equipe de psicólogos que já atuava no Acolhe SES e integrá-los ao fluxo do Atende em Casa. Agora, tanto os usuários que não precisam passar pela teleorientação como aqueles que foram assistidos por um profissional da saúde por meio de videochamada também têm a opção do teleacolhimento", comenta a diretora geral de Educação em Saúde da SES-PE, Juliana Siqueira. A população do Recife já tinha a opção de teleacolhimento, realizado exclusivamente pela equipe da Prefeitura. TELEORIENTAÇÃO - O município de Bom Jardim, cidade no Agreste com 39.184 habitantes, passou a ser assistido pelo Atende em Casa nesta quarta-feira (1º). Com a inclusão, o aplicativo já beneficia 173 municípios (93,51% das cidades pernambucanas), em todas as 12 Gerências Regionais de Saúde (Geres), contemplando mais de 9,3 milhões de pessoas (97,45% da população de Pernambuco). O Atende em Casa já conta com mais de 85,2 mil usuários cadastrados.  Ao todo, entre os usuários que passaram por teleorientação com profissional, mais de 9,7 mil pessoas foram orientadas a procurar uma unidade de saúde e mais de 15 mil a permanecer em isolamento domiciliar. O aplicativo, disponível pelo site www.atendeemcasa.pe.gov.br e para smartphones com sistema Android, permite que médicos, enfermeiros ou residentes médicos façam videochamadas e orientações aos usuários. Mais de 100 profissionais de saúde foram treinados pela SES-PE, responsável por coordenar os atendimentos fora do Recife, para atuação no Atende em Casa, reforçando as escalas de plantão. Os profissionais recebem orientações quanto ao uso do aplicativo, protocolos clínicos da Covid-19 e fluxo de atendimento nas unidades de saúde. TESTAGEM - O Atende em Casa também está responsável pelo agendamento da testagem de todos os trabalhadores dos serviços essenciais que apresentem sintomas sugestivos da Covid-19, incluído pela SES-PE na última semana. Esse novo grupo representa uma população de mais de 120 mil pessoas com direito ao exame, entre profissionais que atuam em supermercados, padarias, farmácias, postos de gasolina, imprensa, bancos, clínicas e hospitais veterinários. O profissional pode acessar a ferramenta tanto pelo endereço eletrônico (www.atendeemcasa.pe.gov.br) tanto pelo aplicativo para smartphones.  Nos municípios que ainda não contam com o Atende em Casa para a marcação, o profissional deve procurar a secretaria municipal de saúde para poder ser testado. Além desses profissionais de serviços essenciais, em Pernambuco, a testagem para a Covid-19 está disponível para quem atua em serviços de assistência social e atendimento à população em estado de vulnerabilidade; usuários e profissionais de residências terapêuticas e unidades de acolhimento e Centro de Atenção Psicossocial (CAPs) 24h; e gestantes no pré-natal com sintomas de síndrome gripais. Além disso, os pacientes no pré-operatório de cirurgias eletivas, conforme validação das comissões intra-hospitalares, e pacientes no pré-operatório de cirurgias oncológicas também passam a fazer parte do grupo prioritário. Nesses casos, não é necessário apresentar sintomas de gripe. A testagem da Covid-19 também é voltada aos profissionais de saúde, de segurança e do sistema prisional sintomáticos e seus contatos também com sintomas, além dos reeducandos com sintomas gripais. Também já estão contemplados com essa prioridade os idosos e os trabalhadores sintomáticos, além dos seus contatos próximos, que moram e atuam em instituições de longa permanência para a população a partir dos 60 anos. O objetivo do agendamento da testagem para essa população pela ferramenta é facilitar o acesso e apoiar os gestores municipais que desejarem aderir a essa funcionalidade. Os agendamentos serão realizados de acordo com a sintomatologia do usuário. Os municípios disponibilizam a agenda de suas unidades de saúde e o paciente é referenciado para o serviço mais próximo de sua casa, de acordo com o exame preconizado para o caso, que pode ser o RT- PCR, indicado para o início dos sintomas, ou o teste rápido.



PARCEIROS TVLW-2021-4.gif