• TVLW Online

Acusado de matar ex-companheira em Lagoa Grande é condenado a 21 anos de prisão

Nesta segunda-feira (25), Josenildo Cardoso da Silva foi a júri popular na Câmara de Vereadores de Lagoa Grande, no Sertão Pernambucano, pelo assassinato da ex-companheira. O crime aconteceu no dia 6 de dezembro de 2016, no distrito de Vermelhos. Eliene da Silva Bezerra, de 28 anos, foi esfaqueada dentro de casa, pelo ex-companheiro na frente dos três filhos de um outro relacionamento.

"É muito doído, estou de coração partido. Ele acabou com a minha vida, acabou com a nossa vida, acabou com a vida das crianças. Ele não pensou um segundo na minha filha, não pensou em mim que era mãe, uma coisa que eu construi com todo amor, tanto carinho, ensinei a regra do bem viver", declarou a mãe da vítima, Cleonice da Silva.

Para o irmão da vítima, Elias da Silva Bezerra, a motivação do crime foi o ciúme. "Ele tinha ciúmes dela porque ela andava bem arrumada, tinha muitos clientes. Ela vendia mais de cinco marcas de cosméticos e vendia também lingerie. Ai eu penso assim, creio eu que foi misturado ciúmes, ele não acreditou que ela voltaria da viagem, porque ela iria para São Paulo, passaria de dez a 15 dias lá a trabalho".

O crime chocou a população. Na porta da Câmara de Vereadores, amigos e familiares exibiram cartazes com frases contra a violência doméstica e o feminicídio. "Mais um crime que acontece por causa que a gente se cala. A gente devia quando acontecer procurar alguém, mesmo que tenha medo, mas procurar alguém próximo, acho que evitava mais essas coisas", acredita Maria das Graças da Conceição que era amiga da vítima.

Josenildo foi preso um dia após o crime, quando voltou à casa da vítima. Na delegacia ele confessou ter assassinado Eliene. De acordo com a mãe da vítima, ele já havia tentado matar a ex-companheira seis meses antes. "Estava ela em cima da cama e ele matando enforcada e o facão junto. Dia 25 de junho aconteceu isso, ai quando foi dia 6 de dezembro ele matou", relembra Cleonice.